Skip to main content
como investir no tesouro direto

Entenda como investir no Tesouro Direto: confira o passo a passo

Nos últimos tempos, poucos investimentos se tornaram tão populares para o brasileiro como o Tesouro Direto. E os motivos para isso não são poucos.

Primeiro, porque em relação à Poupança, o investimento mais tradicional do país, os resultados do Tesouro têm sido muito mais satisfatórios. Segundo, que o Tesouro permite a realização de investimentos para objetivos diferentes, sempre de acordo com os interesses de quem aplica o dinheiro. E terceiro: trata-se de um investimento seguro, pois é garantido pelo governo, o qual tem muito mais condições de honrar com seus compromissos do que uma instituição privada.

Dito isso, é hora de começar a lucrar. Siga conosco e aprenda como investir no Tesouro Direto! Confira.

Passo a passo para fazer o investimento

Passo 1

Conheça os dois tipos de títulos disponibilizados pelo Tesouro Nacional, os Prefixados e os Pós-fixados.

No caso do primeiro grupo, o investidor já sabe de antemão a rentabilidade do título na data de vencimento. Nessa categoria, temos:

  • Tesouro Prefixado (LTN);
  • Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F).

Já no caso do segundo grupo, os títulos possuem um valor corrigido por um indexador que pode ser a taxa básica de juros (Selic) ou a inflação (IPCA). Isso significa que a rentabilidade segue uma taxa predefinida no ato da compra do título somada a variação do indexador escolhido.

Fazem parte dessa modalidade os títulos:

  • Tesouro Selic (LFT);
  • Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B);
  • Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal).

Passo 2

É hora de procurar uma instituição financeira para comprar seus títulos. Cadastre-se e então você terá um agente de custódia. Considere as taxas cobradas, dando preferência para opções gratuitas para garantir uma rentabilidade maior.

Uma vez que o seu cadastro é efetivado, você receberá uma senha associada ao seu CPF. São essas informações que você precisará fornecer ao fazer o login no sistema do Tesouro Direto. Lembrando que, algumas instituições financeiras já possuem seu site integrado ao sistema do governo, dando a você a possibilidade de comercializar títulos usando somente o site da instituição.

Passo 3

Estando devidamente regularizado, já é possível comprar os títulos que desejar. Você pode enviar seu dinheiro via TED para a corretora ou comprar os títulos diretamente com o banco.

Dicas para quem quer começar a investir no Tesouro

Para aperfeiçoar o processo de investimento, confira as dicas que separamos a seguir.

1. Invista um pouco todos os meses

Use o tempo como seu aliado. Com os juros compostos, mesmo investindo um pouco a cada mês, você pode compor uma boa renda com o passar dos anos. O segredo é jamais deixar de aplicar, mesmo que seja o valor mínimo. Acredite: no Tesouro Direto você pode investir pelo menos R$ 30.

2. Escolha o investimento ideal para suas necessidades

Trabalhar com objetivos é o diferencial de investidores de sucesso. Com o Tesouro Selic, que apresenta liquidez diária, você pode compor sua reserva de emergência, por exemplo. Já com o IPCA, é possível garantir a aposentadoria sem maiores riscos em relação à inflação. Crie sua estratégia e conte com as opções do Tesouro Direto para garantir a rentabilidade de suas aplicações.

3. Prefira a corretora de valores

Quer simplificar suas ações? Conte com uma corretora. Com a democratização do acesso aos títulos públicos, muitas delas têm investido em se tornar facilitadoras de novos investidores, oferecendo Apps e sites muito intuitivos. Além disso, é bom tomar cuidado com os bancos, por conta das taxas e dos interesses. É comum encontrar ofertas nas corretoras que os bancos apresentam apenas para correntistas de altíssima renda.

Gostou desse artigo? Então agora que você já sabe como investir no Tesouro Direto, assine a nossa newsletter para conferir e receber os nossos novos conteúdos em primeira mão.

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos





Compartilhe sua opinião com a gente

opiniões